Timbila Corona Vírus

Marílio Wane
Maputo, 02 de Outubro de 2020

Timbila é uma das manifestações culturais moçambicanas mais conhecidas dentro e fora do país, tanto pela sua excelência enquanto expressão artística, quanto pelo fato de ter-se tornado num ícone, um símbolo da identidade nacional. Recentemente, em 2005, a timbila ganhou um importante destaque internacional ainda maior por conta da sua proclamação como “patrimônio da Humanidade”, pela Unesco, no âmbito da Convenção de 2003 (para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial). Trata-se de grandes conjuntos orquestrais de xilofones (mbila, em língua chope) acompanhado de dança praticados pelo povo chope, um grupo etnolinguístico concentrado no sul da Província de Inhambane.
Os fatores que levaram ao estatuto de ícone da cultura moçambicana remontam ao período colonial, quando diversos registros fonográficos e uma vasta literatura foram produzidos e divulgados no âmbito da construção ideológica imperialista. Assim como após a independência, em 1975, a timbila desempenhou um papel relevante na construção da identidade nacional, sobretudo, através dos festivais nacionais de cultura, que procuravam construir novas representações para o imaginário do país que então nascia. De tal forma que, com o acúmulo de informação, referências e devido à sua disseminação aos mais diversos níveis, esta manifestação cultural adquiriu um alto grau de relevância, para muito além das suas fronteiras locais.
Longe de ser uma expressão cultural meramente folclórica, a timbila destaca-se, entre outros aspectos, pelo seu caráter interventivo, especialmente por via dos conteúdos das canções. Desde os registros mais antigos que se conhecem, através delas, os artistas demonstram ter liberdade de expressão para informar, aconselhar e criticar situações e comportamentos observados nas suas comunidades, muitas vezes, de forma contundente. Em tempos passados, este comentário social dirigia-se igualmente às próprias autoridades coloniais, denunciando-se os seus abusos, contradições e ambiguidades, bem como sob a forma de eventuais elogios (especialmente, quando eram cooptados nesse sentido, o que também ocorria).
É bastante frequente a timbila ser descrita por diversos pesquisadores, nacionais e estrangeiros, como uma forma de “jornal” (por informar e registrar fatos) e “tribunal” (por criticar e julgar e comportamentos). Ou seja, através de exibições públicas no seio da comunidade, as canções de timbila, sempre carregadas de humor ácido, cumpriam e cumprem uma importante função social. À medida que, no contexto da independência e depois, foi ganhando dimensão nacional, as suas mensagens frequentemente versavam sobre a luta pela libertação e a exaltação dos heróis nacionais, em consonância com o discurso vigente na época.
Enfim, atualidade da timbila enquanto “jornal” e “tribuna”, seja da e para as comunidades chope ou mesmo a nível nacional, pode ser atestada nesta composição e do grupo Timbila Tathu, como forma de sensibilização para o combate à Covid-19. Neste aspecto, a arte de timbila mostra a sua capacidade de intervenção social diante de um tema tão urgente não apenas para os moçambicanos, mas a nível global. Especialmente por se tratar de uma mensagem que trata da necessidade de mudança de comportamento como forma de combater a doença, neste caso, a canção de timbila adquire grande relevância no sentido de transmiti-la para comunidades que, possivelmente, não a absorveriam de forma tão eficaz.
O grupo Timbila Tathu, recém-constituído, é formado pelos músicos Bob Mahuaie, Amós Mauaie, Simão Nhancule, Estevão Junior, Celso Durão, Lucas Macuacua, Osório Mahuaie, Dolivar Durão, Nelson Baleque e Pascual Bulule; todos de origem chope e residentes na Cidade de Maputo, a capital do país. O tema intitulado “Covid-19” (disponível no link abaixo) foi gravado, filmado e editado em DVD a partir de contribuições voluntárias de diversas organizações e indivíduos. Para a divulgação, contou com o apoio de algumas instituições públicas como a TVM – Televisão de Moçambique, Rádio Moçambique, Conselho Municipal da Matola. Igualmente importantes para a disseminação da mensagem, tem sido as redes sociais do grupo e de seus membro, assim como os grupos culturais de música e dança nas Cidades de Maputo e Matola. Trata-se de uma gravação de áudio e vídeo sem fins lucrativos, cujo objetivo maior é ser um contributo para maior sensibilização em relação à problemática da Covid-19 em Moçambique.
Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=9XG12L1QTaQ

Letra

Ha Guma, ha guma, ha guma, ha guma, ha guma ha mafuni manweno ha guma moh…
Im, ha guma ngu Corona vírus covid 19 yinga khukhela China yi hangalaka ni matiko, ha guma.
Nhu txani? Ngu Corona vírus, covid-19, ha guma.
Huwa, huwa yi pfala um’ndongani ka vakwanu!
Um’ndongani ka vakwanu sikwangu;
Huwa huwa yi pfala um’ndongani ka vakwanu yi endelekela ni ha mafuni txa moroka txi tshungu, txi moroka ngu ndava ya Corona.
Mi humbo yangu mama sakwangu Ku velekwa ni sa ngati wona tiya.
Ayiya Corona madota yi tete kuta daya;
Yi tete kuta daya sikwangu…
Ayiya Corona madota yi tete kuta daya;
Yi hetisa sotshe ha mafuni…
Ih, txi dzangwa wava, hambi ni vakoma va tsula.
Mi humbo yangu mama sikwangu Ku velekwa ni sa ngati wona tiya!
A yiya Corona madota yi tete kuta daya!
Yi tete kuta daya sakwangu!
Ayiya Corona madota yi tete kuta daya, yi hetisa totshe ha mafuni;
Ih, txi dzangwa wava! Hambi ni vakoma va tsula.
Mi humbo yangu mama sikwangu Ku velekwa ni sa ngati wona tiya!
Ayiya Corona madota yi tete kuta daya.
Yi tete kuta daya sakwangu! Ayiya Corona madota yi tete kuta daya yi hetisa totshe ha mafuni.
Ih, txi dzangwa wava, hambi ni vakoma va tsula.
Ina Ka, hinga ni guelani, hinga ni guelani txi tshungu!
To txa?
Para hi pona ona malwati awa, Ku laveka Ku txani?
Im, Ku laveka Ku samba mandzani ngu sephu kumbe ngu dikhuma, hi Zumba um’tini, hi ambala ma máscara, hina pona.
Huwa, huwa, huwa, huwa, yi pfalako um’ndongani ka vakwanu huwa.
Awuwa umpando wu nga bwaka kha wungani um’rende mwanathu. Ku laveka hi ti wonela mwendo hina mana ku pona.
Ma yipfa huwa huwa, Ma yipfa huwa huwa yi pfalako um’ndongani ka vakwanu yi hangala no matiko?(nariz, Desculpem, aqui não consigo ouvir bem)!
Evitar tocar na boca, nariz, nos olhos com as mãos não lavadas. Ao expirar ou tossir, cobrir com a parte interna do cotovelo e nunca com as mãos. Não compartilhar objectivos do uso pessoal não lavados como: pratos, talheres, copos ou garrafas. Limpar ou desinfectar objectos tocados com frequência, evitar locais de muita aglomeração.
Fique em casa, wa yipfa huwa, fique em casa, wa yipfa huwa, fique em casa, wa yipfa huwa!
Txa moroka txi tshungu matikoni, taxa moroka txi tshungu matikoni, ngu ndava ya Corona, ngu ndava ya covid-19, ngu ndava ya Corona, ngu ndava ya covid-19.
Ngu ndava ya Corona ngu ndava ya Covid-19
Unga hi leke, a hi hunguleni umpatano.
Yeyeyeyeye, lolelelele.
Zumba um’tini kwaco,
Hinga zumba um’tini Tati;
Zumba um’tini kwaco, samba mandzani tata

Voz do Presidente Filipe Jacinto Nyusi, extraída de um discurso oficial de sensibilização contra a Covid-19:
Por palavras simples, estou a dizer: vamos ficar em casa, nrowe unkhenhanhu di hale wani; nghati gale pa mudzi, a hi tshameni Kaya.

Tradução

Viva…
A humanidade está em vias de extinção aqui na terra;
Sim, estamos acabando por causa de Coronavírus, por causa de covid-19;
Começou na China e se espalhou pelo mundo todo;
Acabamos por quê? Por causa de Corona vírus, o causador de Covid 19:
Grito de socorro pelo mundo todo, devido à covid-19 que está dizimando todo mundo infectado pelo Corona vírus;
Ai de mim por ter nascido, não viria isto tudo;
Este Corona veio somente para matar e acabar com tudo aqui no mundo. Ah… Este problema eclodiu fatalmente por terra. Mesmo os governantes têm sido vítimas mortais;
E agora! Me digam vocês, que medidas de prevenção devemos tomar com vista a evitar esta pandemia?
Lavar as mãos com sabão ou cinza, usar máscaras e ficar em casa. Assim podemos nos salvar;
Ouçam o clamor em todo o mundo;
Esta pandemia não tem cura, meu irmão;
Precisamos de nos prevenir para ver se a gente consiga se salvar;
Ouça o clamor pelo mundo a fora por causa de Corona;
Em todo o mundo as pessoas estão acabando por causa de Corona e Covid-19;
Não nos abandonem por favor, intensifiquemos a união.
Fique em casa sua casa;
Tudo por causa de Corona, por causa de Covid-19.